Agricultura Verde: a sustentabilidade como motor do futuro

A chamada Agricultura Verde ou Agricultura Sustentável norteia-se por princípios baseados no equilíbrio ambiental, social e económico.

Um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustent√°vel das Na√ß√Ķes Unidas estabelece como prioridade acabar com a fome at√© 2030 e promover a agricultura sustent√°vel, que √© encarada, tamb√©m, como crucial para o processo de descarboniza√ß√£o.

A agricultura est√° dependente de condi√ß√Ķes e processos naturais (como o clima, o solo e as intera√ß√Ķes entre seres vivos, por exemplo) n√£o control√°veis pelo homem. A agricultura industrializada procura controlar todos estes fatores, num sistema r√≠gido e dependente da energia externa. S√£o cada vez mais evidentes os impactos negativos desta agricultura industrializada e intensiva no ambiente e na sociedade. Desde a destrui√ß√£o dos solos, passando pelo uso intensivo dos recursos naturais at√© aos elevados n√≠veis de polui√ß√£o que daqui adv√™m.

Falamos de Agricultura Verde sempre que esta atividade respeita o meio ambiente, √© justa do ponto de vista social e economicamente vi√°vel. Pretende responder √†s necessidades de produ√ß√£o e preservar a qualidade de vida no planeta, respeitando e protegendo os recursos naturais. Este tipo de agricultura n√£o deve ser entendido unicamente como uma forma de produzir alimentos com o m√≠nimo impacte ambiental. Tem tamb√©m em conta as componentes sociais e econ√≥micas. Para que possa ser praticada e mantida a m√©dio e longo prazo, deve ser uma agricultura adaptada √†s condi√ß√Ķes locais.

Enquanto o sucesso da agricultura industrializada se mede apenas atrav√©s de crit√©rios como a produtividade e a rentabilidade, a agricultura sustent√°vel tem padr√Ķes mais complexos e incorpora crit√©rios sociais e de sustentabilidade econ√≥mica com vista √†s gera√ß√Ķes presentes e futuras.

O desenvolvimento da Agricultura Verde está diretamente associado ao desenvolvimento sustentável. O seu impacto faz-se sentir a diversos níveis, nomeadamente:

‚ÄĘ Ajuda a proteger e a regenerar os recursos naturais;

‚ÄĘ Previne a degrada√ß√£o dos solos;

‚ÄĘ Preserva a biodiversidade e os ecossistemas;

‚ÄĘ Respeita a qualidade da √°gua e do ar;

‚ÄĘ Diminui os riscos associados √† produ√ß√£o e assegura a estabilidade dos rendimentos dos agricultores;

‚ÄĘ Assegura um acesso equitativo aos recursos produtivos;

‚ÄĘ Garante a participa√ß√£o, a subsist√™ncia e a autonomia dos grupos sociais envolvidos nos processos produtivos.

De acordo com dados das Na√ß√Ķes Unidas, a Agricultura Verde utiliza menos 56% de energia por hectare de cultivo produzida, emite menos 64% de gases com efeito de estufa por hectare cultivado e promove n√≠veis mais elevados de biodiversidade do que a agricultura convencional.

Caraterísticas

São vários os estudos, nacionais e internacionais que caraterizam a Agricultura Verde, que se norteia por princípios e estratégias como:

  • Apoio √† agricultura familiar e aos pequenos produtores, possibilitando a sua perman√™ncia no campo;
  • Diversifica√ß√£o agr√≠cola, tendo em vista o cultivo de alimentos variados;
  • Redu√ß√£o dos pesticidas e outros qu√≠micos;
  • Aplica√ß√£o de processos ecol√≥gicos e biol√≥gicos;
  • Envolvimento de produtores, distribuidores, comerciantes e consumidores;
  • Cria√ß√£o e utiliza√ß√£o de sistemas de capta√ß√£o de √°gua das chuvas para utiliza√ß√£o na rega;
  • Promo√ß√£o da utiliza√ß√£o de energias renov√°veis, como por exemplo, os biocombust√≠veis (biodiesel, biog√°s, etanol e outros derivados de res√≠duos e de biomassa);
  • Rota√ß√£o de culturas, sempre com o objetivo de reduzir a exaust√£o dos solos;
  • Ado√ß√£o de pr√°ticas agr√≠colas adequadas √†s √°reas e climas onde as culturas possam atingir maior rendimento com o menor desgaste do solo;
  • Op√ß√£o por √°reas produtivas mais pr√≥ximas do mercado consumidor com vista a reduzir custos com transportes;
  • Respeito pelas leis do trabalho e dos trabalhadores, pagamento de sal√°rios justos e investimento em forma√ß√£o profissional.

O futuro

Os sistemas agrícolas, pecuários e florestais têm pela frente alguns desafios complexos:

  • ¬†Tentar aumentar o rendimento das culturas (para fazer face ao aumento da popula√ß√£o), sem com isso alargar as √°reas de produ√ß√£o;
  • ¬†Reduzir os consumos de √°gua e de energia;
  • Promover a biodiversidade, tentando, simultaneamente, reduzir os custos de produ√ß√£o e os impactos ambientais;
  • Gerir os impactos das altera√ß√Ķes clim√°ticas;
  • Adotar a tecnologia e as ferramentas de apoio √† decis√£o, associadas √† agricultura de precis√£o.

Tendências do futuro da Agricultura Verde

J√° s√£o muitos os agricultores, incluindo em Portugal, que utilizam sat√©lites para cultivar os campos, obt√™m informa√ß√Ķes sobre o solo atrav√©s de sensores e gerem as opera√ß√Ķes com a ajuda de software sofisticado. As tecnologias agr√≠colas ajudam a tornar as colheitas mais produtivas, ao fornecerem dados meteorol√≥gicos e de campo mais precisos e oportunos, reduzindo a necessidade de fertilizantes e pesticidas, aumentando a efici√™ncia e diminuindo o uso de combust√≠veis f√≥sseis.

Também o futuro da Agricultura Verde pode ser marcado pelo recurso à tecnologia. Desde a inteligência artificial passando pela biotecnologia ou pela blockchain (banco de dados com enormes capacidades de armazenamento), são muitos os caminhos para adotar práticas mais tecnológicas, produtivas e amigas do ambiente.

Nota: artigo publicado no¬†Suplemento N.¬ļ 138 ‚Äď Agricultura Verde, da AJAP. A sua reprodu√ß√£o, parcial ou na √≠ntegra, requer autoriza√ß√£o pr√©via da AJAP.